fbpx

5 coisas sobre o Método Charlotte Mason que talvez você não saiba

O método proposto pela educadora britânica Charlotte Mason é bem falado nos círculos de educação domiciliar . Este método é conhecido pelo incentivo ao tempo das crianças ao ar livre, contato contínuo com a natureza, o uso de livros vivos no lugar dos didáticos e a prática da narração como ferramenta de aprendizado. Isto é verdade, essas são características fundamentais dessa abordagem mas, há algumas características menos conhecidas ou, ao menos, pouco citadas e é sobre elas que eu gostaria de falar hoje.

1 – O currículo dá grande ênfase no estudo das ciências.

Sim, nós levamos as crianças bastante na natureza e sim, este é o principal modo de estudo de ciências nos primeiros anos da infância e sim, os jovens e adultos também são incentivados a estarem ao ar livre, isso porque Charlotte Mason afirmava que a observação da natureza, do mundo animal e vegetal, dos elementos e fenômenos naturais são a base para o estudo das ciências. O estar na natureza permite a criança visualizar, em menor ou maior escala, os fenômenos que virá a estudar em astronomia, química, física e em outras ciências.

“Quando as crianças tiverem idade suficiente para compreender que a própria ciência é, em certo sentido, sagrada e exige alguns sacrifícios, todas as informações comuns que acumularam até então, e os hábitos de observação que adquiriram, formarão um excelente fundamento para uma educação científica. Nesse ínterim, considerem os lírios do campo e as aves do céu.” Charlotte Mason

Assim, a observação da natureza e contato com ela é apenas o início de um programa de estudos que, mais a frente, unirá à observação a leitura, as experiências, a sistematização e a pesquisa em ciências, o que Charlotte Mason definia como sendo o Estudo do Universo.

2. O aprendizado é leve sem deixar de ser profundo

Quando algumas pessoas ouvem que Charlotte Mason sugeria começar a alfabetização aos seis anos e as lições escolares, também nesta idade, com a leitura de fábulas de Esopo, tendem a pensar que um currículo baseado no método Charlotte Mason é fraco em conteúdo e exige pouco da criança. O que as pessoas que tecem esses comentários normalmente não sabem é que o currículo caminha a passos lentos na construção de uma base sólida de leitura e aprendizado. No método Charlotte Mason as crianças aprendem primeiramente a se autoeducar, a ouvir com atenção e narrar com propriedade, a gostar de ler e ver o aprendizado como algo natural e agradável. Portanto, o início é sim bem suave, mas antes que as crianças percebam elas estarão lendo grandes autores como Shakespeare, Camões e Plutarco com a mesma habilidade que um dia leram Esopo.

“O poder das crianças para lidar com os livros se desenvolve”. Charlotte Mason

3. As crianças não ouvem apenas música clássica

Bem, elas ouvem muita música clássica, e eu sei que você sabe como isso é benéfico, no entanto, Charlotte Mason convida as crianças a conhecerem e amarem o seu povo, sua terra e sua cultura, elas lêem várias vezes a história do seu país e de grandes homens e mulheres que construíram a nação e também aprendem músicas tradicionais de sua cultura. Aqui, minhas crianças assistem apresentações de catira e se divertem a ouvir as rimas dos violeiros caipiras a cantar o modo de vida do sertão simples e trabalhador. As ideias presentes nessas canções trazem aos meus filhos o respeito àqueles que vieram antes de nós e trabalharam arduamente em busca de uma vida digna. Ouvimos também choro, seleções de bossa nova e as tradicionais cantigas de roda que trazem alegria ao dia a dia da casa.

“Faz, ou não faz, alguma diferença apreciável para um bebê estar em uma casa onde a música faz parte da vida cotidiana, onde ele é adormecido com canções simples, onde alegres brincadeiras musicais são trazidas ao seu ambiente natural, onde é levado a encontrar expressão rítmica em danças e canções, e onde ouve muitos sons belos que não tenta explicar ou compreender? Acho que todos os professores com experiência concordarão que isso faz uma enorme diferença, e que é possível distinguir de uma sala cheia de crianças, pela conduta de cada uma, aquelas que vêm de lares onde existe música ”. Holanda, “Music as an Educational Subject” Parents ‘Review

4. A narração oral dá espaço à escrita

Talvez a característica mais marcante das aulas no método Charlotte Mason é a narração dos livros lidos. As crianças lêem ou ouvem as histórias e as recontam em suas palavras e a mágica acontece! Mason foi enfática ao afirmar que o aprendizado só acontece quando o cérebro digere as ideias e essa digestão, esse processamento, se dava principalmente e mais facilmente pela narração. Os alunos sempre estarão a narrar, até o fim da sua vida escolar e, muito provavelmente, após também. Contudo, a escrita também é incentivada, não apenas a narração escrita das leituras feitas mas também a composição de ensaios, poemas e textos de assuntos variados. É claro que o desenvolver da composição se dá durante vários anos e será na adolescência que ela mais será realizada pois, como eu disse no item 2, o método é crescente e gradual.

“Se acreditarmos nisso, a composição será, para as crianças que fizeram o devido uso dos livros, tão natural quanto pular e correr .”  Charlotte Mason

5. O método Charlotte Mason respeita a individualidade da criança

Este é um dos princípios da filosofia educacional de Charlotte Mason, mas pode passar despercebido. Algumas pessoas justificam o não uso de um método para a educação das crianças com a crença de que um método pressupõe que se agirá da mesma forma e se ensinará de uma única forma todas as crianças e que, sendo as crianças diferentes entre si, não pode haver uma forma única de se ensinar. Para contrapor esta justificativa quero esclarecer que, mesmo tendo proposto um método único de educação, Charlotte Mason considerou o aprendizado por três vias – atmosfera, disciplina e vida – e que essas três vias são tão naturais às pessoas como o se alimentar é para a nutrição do corpo. O corpo se nutre pelo alimento. Todos nós comemos, todos precisamos de nutrientes, de proteínas, de vitaminas, e estes estão na comida e isso é igual para todas as pessoas, mesmo as que têm biotipos diferentes ou atividades diferentes. Da mesma forma o cérebro de todos nós precisa de alimento, e esse alimento são as ideias. Estas ideias serão absorvidas em quantidade, momentos, tempo e fontes diferentes pelas pessoas, mas alimentar o cérebro é natural e necessário a todos. Portanto, ainda que os instrumentos de educação sejam únicos e comuns, devem ser respeitadas as individualidades das crianças como gostos, disposição, facilidades, tempo, temperamentos, personalidade e necessidades.

“Temos um método de educação, é verdade, mas o método não é mais do que um caminho para um fim, e é livre, flexível e adaptável como a própria Natureza.” Charlotte Mason

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *